parallax background
CORES DE UM BRASIL MINERAL
July 12, 2016
ERA MESMO O MOMENTO DA DEGOLA???
March 4, 2017
 

O desafio de manter sua vida em equilíbrio com as inevitáveis mudanças no ambiente a sua volta.

E ram exatamente 20:16 no display do meu celular no dia 31 de dezembro de 2015 e me veio a ideia de tirar uma foto da tela do celular, para depois publicar na minha página do Facebook, antecipando as boas vindas do ano que se iniciaria em poucas horas... Uau!!! 2016 chegou com todas as renovações, festivos e celebrações... e eu estava ali, mais uma vez... no aconchego da minha família e celebrando com amigos as possibilidades infinitas de um ano novo e "promissor"...

Algumas possibilidades já se desenhavam... A nossa filha mais velha, após vários anos tentando encontrar o seu caminho em um curso superior, iniciara 2015 com o pé direito no curso de arquitetura da PUC/BH e terminara melhor ainda, pois havia conseguido uma vaga em um curso de uma universidade pública. Great!!! A mais nova, indo muito bem no colégio e finalmente se interagindo melhor com os colegas, fazendo novas amizades e se preparando para o 9º ano e último ano do ensino fundamental. Um dos melhores anos pra ela desde que chegamos de Carajás Dream... Minha esposa, no início de 2015 decidiu-se por uma cirurgia delicada, por sinal, muito bem sucedida. Atravessara o ano retomando sua rotina e se preparava para entrar o ano com o pé direito... Eu pessoalmente, me sentia muito realizado, pois em 2015 consolidei depois de mais de 20 anos, meu sonho de adquirir a tão sonhada “casa própria”...

parallax background

„Uau!!! 2016 chegou com todas as renovações, festivos e celebrações...”

 

Foi um final de semana ótimo, mas retornei a Paracatu/MG com um sentimento de que havia muito peso em minhas costas...

Que ano hein?!?!... Aquele final de semana poderia ser perfeito, mas como todos os finais de semana dos últimos 13 anos, como gerente de operações, eu havia viajado com um celular em mãos, de prontidão para receber chamadas em caso de acidentes na mina, me atualizar das rotinas operacionais e saber se os fechamentos de produção haviam batido as metas anuais.

Enfim, manter-me atualizado de todas as responsabilidades de um gestor de pessoas e processos em uma grande companhia mineradora, cargo esse, que batalhara incessantemente para consegui-lo e a ideia era nunca mais soltá-lo...

parallax background

As mudanças naturais de qualquer processo acontecendo de forma muito rápida e eu?!?!... Bem...

 

Eu, há muito já não sentia o mesmo interesse por aquela rotina e para dizer a verdade, minha vida profissional se tornara em algo muito previsível em um ambiente pouco criativo, onde de certa forma, “assistia” aos “acontecimentos” naturais nas grandes corporações atingirem a minha área e a tudo que nossa equipe havia demorado três longos anos para implementar.

Percebia cada vez mais as realizações, conquistas e exemplos que demos em termos de gestão de pessoas, processos já não tinham mais tanto valor e o meu “Dream Team” da Mineração já se desfazia com a saída de muitos integrantes importantes e perdas preciosas de informação e cultura operacional, forçadas é claro pela busca por produtividade e redução de custos. E mais, quem havia decidido por cortes e demissões na minha equipe era eu, o gestor... E o que seria do nosso legado???...

E o ano começara com aquele sentimento de não sei o quê entalado na garganta, porém me fazendo de duro ou indiferente para receber as mudanças sem transparecer que na verdade, não concordava com aquelas interferências, no fundo totalmente desnecessárias, a meu ver e àquela época...

Até que um dia o gerente de uma das plantas foi desligado... De imediato fui à sala do meu chefe e perguntei: Bem “fulano”, eu sou o próximo? Percebi que ele não esperava aquela pergunta, e resolveu me respondê-la somente no final de nossa conversa “One-to One” semanal... Me disse que iria me avaliar por mais um mês... What!?!?!...Bem, somente 30 dias depois, coincidência ou não, quando ouvia dele novamente que eu havia perdido a motivação e que meus resultados já não eram mais os mesmos de anteriormente, e que decidira por me desligar, é que fui me lembrar desse “fodeback”... rsrsrs

E aqui começa a minha história quase clichê do ano novo sabático, forçado e “inesperado”...E acima de tudo sem o meu time dos sonhos da mineração, aquele que desejei por muitos anos, que ao longo dos anos passou a ser exemplo de uma equipe motivada e vendedora, motivos recebermos visitas procurando entender como conseguíamos aqueles resultados tão surpreendentes...

Seria o fim do meu Dream Team?...

Este assunto não acaba aqui... Se você gostou deste post deixe seus comentários e sugestões abaixo, pois adicionarei novas histórias e acontecimentos em breve. Um Grande Abraço

36 Comments

  1. Angelo Carvalho says:

    Muito bom… é melhor muito atual também,,.

  2. Ana Cunha says:

    Claudio, parabéns pelo texto. É incrível como as mesmas histórias se repetem o tempo todo. Avançamos tanto em tecnologia e tão pouco na forma de gerir pessoas não é mesmo? E as angustias corporativas se disseminam..

    • Cláudio Freire says:

      Oi Ana, Obrigado pelo retorno!!!Às vezes me pego pensando com o que aprendo mais, acertos ou desacertos… Na verdade, este “estica e puxa” do nosso cotidiano é que nos dá maturidade pra fugirmos do pensamento e comportamento padronizados. Se não nos permitirmos a pensar e agir diferente, tenderemos a nos angustiar diante de um obstáculo na maioria das vezes, insignificante… E as corporações estão repletas deste tipo de limitações coletiva. Infelizmente!!!

  3. Fredis william martins ramos says:

    Claudio muito bom , gostei muito daria um livro, pessoas como vc são exemplos de vitorias desejo a vc e família tudo de bom um forte abraço.

    • Cláudio Freire says:

      Fala Fredis William!!! Que bom que gostou, meu caro… Guardo com muita gratidão todos os momentos que compartilhamos desde os tempos de Colégio Wilsom Democh. Bons tempos que nos ajudam a compor esse mosaico da nossa trajetória de vida. Grande Abraço!!!

  4. Elane Neves says:

    Adorei os textoseus, principalmente o do dream team….Me identifiquei muito….vivi algo parecido….Depois de um fodeback o desligamento. ….A mesma justificativa….desmotivada….Os resultados já não eram os mesmos e etc….deixei de fazer parte daquele que eu achava ser o Dream team…golpe duro….difícil de digerir….E depois de 2 anos ainda não consegui me reencontrar.

    • Cláudio Freire says:

      Olá Elane, tudo bem? Eu penso que cada um tem o seu tempo pra completar este processo… O mais importante, é o fazermos de forma consciente, preparando-se para aos novos desafios, tirando proveito da experiência vivida e se permitindo a trilhar novos caminhos. Novos “Dream Teams” virão com certeza!!! Grato pela mensagem. Um Abraço!!!

  5. Tayane says:

    Como não gostar de um história que muitos vivem mas poucos explanam. Parabéns!

  6. Mary Pereira says:

    Parabéns pela coragem e atitude Primo! Tenho certeza que assim cómo está me inspirando, fará com que várias pessoas repensem suas carreiras, vidas e sonhos, sei que próximos capítulos serão recheados de realizações e mudanças surpreendentes. Sucesso! Felicidade que você merece ter, continue partilhando.

    • Cláudio Freire says:

      Oi Querida!!! Eu pensava inicialmente que seriam posts sobre carreira profissional, mas sinceramente, o exercício da escrita nos obriga a fazer uma auto crítica, de colocar os pingos nos “is”, de ser realista consigo mesmo, de olhar para o futuro com a visão de quem aprende com o presente… Aí, tudo acaba se misturando num grande caldeirão efervescente!!! Desafio e tanto esse!!! Mas, cá pra nós, estou adorando!!!

  7. Flavio Carvalho says:

    Muito bacana! Texto de um sábio profissional! Parabéns!

  8. Marco Aurélio Oliveira says:

    Claudio, como diz um amigo espanhol, são “as surpresas da vida”..e para as pessoas de bem e com motivação para seguir adiante não apenas com sonhos financeiros, e sim com sonhos da alma, tudo é possível ! Soma-se a isto a sólida base familiar que você construiu e agora se beneficia dela, não há de existir barreiras intransponíveis para atingir seus sonhos… Creio que o “dream team” não acabou, pois vai seguir em frente, com ou sem seu grande criador, assim como nós somos eternos nas pessoas que cruzaram nossos caminhos e deixaram suas marcas. Um grande abraço ..Marco Aurélio

    • Cláudio Freire says:

      Oi Marco, como vai? Talvez não fosse tanta surpresa assim… O fato é que em muitas situações esperamos demasiadamente o momento certo para nos atirarmos numa trajetória de liberdade sem precedentes… Agradeço imensamente suas palavras de incentivo e reconhecimento, meu amigo. Grande Abraço!

  9. Rogério de Lima Lopes says:

    Cláudio, muito bom. com muita objetivo é com muita clareza.

    • Cláudio Freire says:

      Obrigado pelo comentário prezado Rogério. O seu retorno me incentiva a continuar neste caminho. Forte Abraço!

  10. Edgar Oliveira says:

    Grande Cláudio, você é simplesmente um cara fantástico. Certamente suas sábias palavras nos farão refletir dia-a-dia… Parabéns! Abraços.

  11. Márcio Chaves says:

    Parabéns Cláudio Freire, excelente material, bem objetivo e claro.

  12. Wellington Nunes says:

    Ao meu ver pode surgir um livro de seus depoimentos e experiência.

  13. Danilo Drumond says:

    Meu caro, muito orgulhoso de seu belo trabalho. Continue, está muito rico e interessante. Parabéns! Abçs

    • Cláudio Freire says:

      Muito Obrigado pelo incentivo Danilo Drummond!!! Como você já sabe, admiro e tenho a sua trajetória como exemplo.

      Grande Abraço!!!

  14. josival de Andrade says:

    Meu amigo, em certos momentos da leitura me senti dentro da historia, continue que está muito bom.

    • Cláudio says:

      Que Bacana Josival!!! Muito obrigado pelo retorno e incentivo. Escrever é um grande desafio, ainda mais se tratando de experiências vividas, onde acima de tudo temos que fazer uma auto-análise antes de efetuar o registro. Não há como ser imparcial. Temos que assumir a parte que lhe cabe e seguir em frente com o aprendizado. Pronto para novos desafios, não é mesmo? Grande Abraço!!!

  15. Hugo Alves da Silva says:

    O SONHO SÓ ACABA, QUANDO SE ACORDA.
    Ao longo de 29 anos, uma estória passou a dar sentido a alguém, quando tudo para trás, tornou-se “história” . Vi todo esse contexto, num passado recente, vivida e narrada por amigo. Ele havia construído uma carreira profissionalme brilhante, daquelas que você pode por num filme, contar para os filhos ou até mesmo passar num quadro do “Fantástico “. Na tentativa desenfreada de posicionar um bom profissional, na maioria das vezes, acabam cometendo erros que marcam, e das duas formas. Usando uma analogia popular, já que citou o Dream team, vamos falar sobre o Barcelona. Quando o clube Catalão trocou o seu presidente, não esperava encontrar tantas dificuldades, já que o clube ocupava uma posição de destaque no cenário futebolístico europeu, e tinha no seu plantel, uma equipe altamente técnica, começando por Guardiola, que logo depois deixou o clube e Lionel Messi, como protagonista dentro de campo. Além de outros monstros consagrados em cada posição. Aquele Dream Team, teria que passar por profundas mudanças, visando manter-se nesse cenário competitivo. Algum tempo depois, juntou-se aquele elenco outros jogadores, como Neymar e Suárez. Como encaixar 3 atacantes,sem perder a qualidade técnica defensiva e não comprometer o poder de fogo, daquele time que em outrora, havia se consagrado por seu poderoso ataque? Uma série de experiências foram feitas, até chegar no ápice perfeito de sua estrutura. Produzindo muitos gols, batendo -se todos os recordes coletivamente e individualmente. E por fim, ganhando todos os títulos possíveis em uma mesma temporada. Oque poderia dar errado então, pra frente. Gestão! Sempre ela, vi um homem, do qual comecei a falar, que entrou na empresa como ajudante de encanador e saíra como Gerente de uma multinacional poderosa, uma pessoa fantástica, Dona de uma experiência inimaginável e uma vontade irrepreensível, mas chegou num momento em sua carreira, que aquele “mundo ” ali, já não o cabia mais, ele estava bem a frente de tudo e de muitos. Um dia simplesmente chegou no Rh de sua empresa, deixou seu crachá e avisou que não queria mais fazer parte daquela corporação, que tudo ali, já não fazia mais sentido, porque ele havia acordado e seus sonhos iam bem além, de tudo que poderiam lhe oferecer.

    • Cláudio Freire says:

      Prezado Hugo, Obrigado pelo paralelo que você estabeleceu, por sinal, muito bem pontuado, quando se trata de falarmos dos “Dream Teams”. No próximo texto (Era Mesmo o Momento da Degola?…) abordo um pouco mais essa questão. Não podemos alimentar um sentimento de posse, a meu ver, com absolutamente nada. O sentimento de posse lhe deixa num estágio de sono profundo e apenas sonhando. Concordo com você. O sonho precisa ser renovado, alimentado todas as noites quando nos deitamos e adormecemos. Mas, no dia seguinte e necessário acordarmos e continuar a luta diária, com o sono, os sonhos e atitudes renovadas, assim como fez o seu amigo. Uma música que amo de paixão é Clube da Esquina nº 2. Nela há uma frase que sempre trago comigo: …E os sonhos não envelhecem!!! Com o passar dos anos, entendi que envelhecerão somente se, nos abdicarmos da tarefa de renová-lo a cada noite, a cada dia. Grato pela contribuição Amigo.

  16. cleber ferreira says:

    Historia maravilhosa e inspiradora Claudio Freire, que possamos seguir em frente e nunca desistir de nossas caminhadas. É profissionais como você que nos serve de exemplo, para nós Engenheiros de Minas recém formado.

    • Cláudio Freire says:

      Cleber, todos nós temos algo de elevante a compartilhar. É importante que tomemos consciência dessa nossa responsabilidade. Cada um no seu tempo. Eu tenho você como exemplo de determinação e garra, caro Amigo. Um Abraço!

  17. Jair Melo de Sousa. says:

    Cláudio, textos muito atuais, continue a nós proporcionar reflexões. Um grande abraço.

    • Cláudio Freire says:

      Muito Obrigado Jair. Com certeza vou contar um pouco da sua rica história e legado na Mineração.

      Grande Abraço Irmão!!!

  18. Ingrid Pacelli says:

    Muito bom, gostei muito das suas reflexões e visões.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *